menu

(11) 3091-4464

[email protected]

HomeBlogBiota-Fapesp manifesta apoio total ao Professor Elisaldo Carlini, UNIFESP
HomeBlogBiota-Fapesp manifesta apoio total ao Professor Elisaldo Carlini, UNIFESP

Biota-Fapesp manifesta apoio total ao Professor Elisaldo Carlini, UNIFESP

postado em 28/02/2018

A Coordenação do Programa Biota-Fapesp une-se a ABC, ACIESP, SBPC e inúmeras sociedades científicas e vem a público também repudiar a ação brutal sofrida pelo Professor Emérito da UNIFESP, na última quarta-feira, dia 21/02, quando o Professor Carlini foi intimado a depor na 16a. DP da Vila Clementino, por apologia ao uso de drogas. Em qualquer país do mundo que têm a educação, ciência e tecnologia como prioridade de estado, aos 88 anos, o Professor Carlini estaria sendo homenageado e premiado pelo seu trabalho de mais de 50 anos dedicados as pesquisas em neuropsicofarmacologia. Cientista mundialmente reconhecido e admirado, está no sétimo mandato como membro do Expert Advisory Panel on Drug Dependence and Alcohol Problems, da Organização Mundial da Saúde (OMS) devido as suas pesquisas em colaboração com vários cientistas do exterior e que resultaram na descoberta das propriedades farmacológicas dos derivados canabinoides para o tratamento de epilepsia, especialmente no tratamento de crianças acometidas por epilepsia grave. A intimação policial de um cientista, cujas pesquisas aliviam o sofrimento humano, é um ato de violência grave não apenas para com o cientista e cidadão, mas também um grande desprezo pela ciência e pelos cientistas do todo Brasil. Um país que tem na sua ciência um dos pilares de desenvolvimento e riqueza deveria valorizar, respeitar e homenagear seus cientistas. Desta forma, Professor Carlini, sinta-se homenageado pelos membros da coordenação e todos os pesquisadores vinculados ao Biota Fapesp, um dos maiores programas de pesquisa em biodiversidade do Hemisfério Sul, internacionalmente reconhecido e premiado. O Biota assim como as demais entidades científicas do país espera que atos desta natureza sejam severamente coibidos pelo governo e abolidos para que a Ciência e os cientistas brasileiros não sejam maculados ou comparados a infratores. O trabalho acadêmico é um sacerdócio e temos em nossos objetivos contribuir para a melhoria da vida e do planeta. Medidas desta natureza apequenam o país e nos afastam ainda mais do reconhecimento internacional que almejamos como nação democrática e soberana.


Coordenação do Programa BIOTA/FAPESP


28 02/2018

 

Últimos posts

 

 

Comentários

Post: 0 comentários

Escreva seu comentário